domingo, 7 de fevereiro de 2016

O Convicto

Se deparar com pessoas convictas é algo que pode surpreendê-lo de maneira positiva ou negativa. Mas uma pessoa do bem e convicta é muito melhor que uma pessoa que se diz do mal e de forma convicta.
Conta um amigo que ao longo de sua vida profissional, se deparou com um sujeito dessa linha, convicto de que era mal e convincente de fato.
Eles saiam juntos para almoçar ou comer alguma coisa. E nessas situações que ele percebia a forma como o indivíduo agia de forma convicta.
Foram a um local onde a pessoa se servia e pagava ao final dizendo o que havia comido. O infeliz chegava no caixa e de forma convicta, sem pestanejar dizia:
- Comi: 2 cochinhas, 1 quibe, 2 croquetes e tomei um suco.
O caixa observando a forma “convicta” com que falava, não tinha dúvida com respeito à segurança passada que cobra exatamente o que foi falado, afinal não havia como confirmar se havia comido ou não. Mas ele sabia que havia comido o dobro e as vezes até mais que isso...
Esse meu amigo em começo de carreira, sentia segurança no que o infeliz falava exatamente pela convicção com que falava as coisas. É o tipo malandro inteligente, que tinha conhecimento sobre as fragilidades humanas.
Certa vez, meu amigo, estava escrevendo um texto em inglês e precisava escrever a palavra: virgula em inglês (comma). Virou-se para o infeliz e perguntou:
- Como se escreve virgula em inglês, mesmo?
Respondeu com a costumeira convicção:
- Virgil.
Convicto que havia recebido a resposta correta, colocou no texto. E enviou. Recebeu de volta uma negativa ao que havia escrito, decidiu verificar. Quando percebeu que haviam lhe informado de maneira erronia o significado da palavra virgula.
Depois desse dia, passou a observar o “Convicto” e descobriu as outras mazelas do infeliz. E passou a verificar sempre que lhe contam algo com “convicção”.
Infelizmente, esse é um comportamento inerente ao ser humano que só faz prejudicar o convívio social. É algo muito comum na sociedade brasileira. E uma das coisas mais desagradáveis são os “convictos” como uma certa pessoa que tem apenas quatro dedos na mão esquerdo é que “nunca na história desse país” foi tão “convicto”!

Fique à vontade para deixar seus comentários e obrigado por ler meu blog.
Até me próximo texto!