quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Urrrr Urrrrrrr

Conhecemos algumas pessoas que tem o dom de contar histórias que ao ouvi-las parecem estarmos vendo um filme, tamanho o conjunto de detalhes que as pessoas colocam no momento em que contam suas histórias.

Dias atrás estávamos voltando do almoço e começamos a lembrar de histórias de nossa infância. Em um dado momento, uma das pessoas que estava conosco falou:
- Já contei pra você a história do “Urrrrr Urrrrrr”. Não. Vou contar então.

E assim começou a contar...

Quando eu era criança estava andando na minha bike de tambor. Aquelas BMX que para frear tem que girar o pedal para trás. Me lembro que vinha pedalando eu e meus amigos. E as meninas ficavam olhando. Dávamos umas pedaladas fortes e travava a roda girando o guidão e a bike saia dando aquelas de rapadas fantásticas! Era muito legal!

Para ficar mais emocionante e impressionar mais as menininhas, colocamos uma rampinha de madeira e vínhamos na pedalada em direção a rampa. E zummm! Pulávamos!  Era o máximo. E na saída a freada clássica com a girada no guidão. Nós éramos os caras da rua.

Lembro da história, mas fico triste ao mesmo tempo. Parece aquelas histórias de pessoas que nasceram para se ferrar...

Estávamos saltando a rapa e de repente ouvimos um grito forte: Urrrrr Urrrrrrrrrr Urrrrrrrrrr...

Era o mudinho que morava perto da gente. Ele veio descendo a rua na maior velocidade e abanando os braços. Como se gritasse: - Saiam da frente! Saiam da frente!

A bicicleta que ele vinha é muito grande. Era uma barra-forte. Com as fitinhas no guidão. 

Ele vinha pedalando forte. A bicicleta era muito grande e pesada. E pra ajudar ele estava usando uma sandália daquelas havaiana maior que os pés. De maneira que cada pedalada era uma raspada no chão.

Não deu nem tempo de olha só sei que saímos da frente e ficamos olhando ele ir em direção a rampa...

Quando subiu na rampa... a bicicleta pesada, caiu antes de completar o salto. Ele não tinha força, nem velocidade para lançar a bicicleta. De maneira que antes de terminar a rampa a bicicleta caiu com a roda da frente ao término da rampa.

A bicicleta virou...

E virou várias vezes com ele. Saiu tombando. E foi uma gozação só.

Pensei seria o salto da vida dele. Se ele acerta aquele salto... todas as menininhas seriam dele. Mas foi triste a o mesmo tempo engraçado.

O pai dele era um homem bravo. Ele ficou todo ralado e para ajudar o pai dele veio buscar ele. E naquela época era complicado. O pai já saiu batendo nele.

Seria o salto!

Bom... E foi assim que ele contou a história.
Vou ficar por aqui...
Fique à vontade para deixar seus comentários...
Muito obrigado por ler Meu Blog e até me próximo texto!

Nenhum comentário:

Postar um comentário