sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Madeira



Me faz de berço
Me faz de cadeira
Me faz de mesa
Até de porta e portão
Mas não tem nada não
Não levo magoa
Te faço feliz
E realizo parte de seus sonhos infantis
Te acompanho no café
Na janta e na hora de dormir
Te apoio na hora santa suportando seus joelhos
E na hora profana
Sou resistente!
Não te levo conte
Porque tem muita gente chora aqui
Mas te nessa hora
Te acompanho até o seu fim

Nenhum comentário:

Postar um comentário