Pular para o conteúdo principal

O engano da lembrança

Quando um relacionamento termina ou mesmo você se afasta de uma pessoa, não importando o motivo: A pessoa foi morar em outro país, ou cidade. Algo acontece de maneira que se perde o contato com a pessoa. Os relacionamentos são os melhores exemplos para ser usando sobre o raciocínio que pretendo abordar.

Em um relacionamento se convive horas, dias, semanas, meses, anos com uma pessoa, de forma que passa não apenas a compartilhar o convívio, mas também sua memória, seus desejos, seu tempo. Em fim sua vida. Ocorre um processo, que diria seria uma simbiose, talvez nem tanto assim. Você pensa nela e ela pensa em você a respeito das coisas que fazem ou farão. É assim.

Quando o relacionamento acaba, não importa o motivo, a pessoa não sai de você de uma hora pra outra. Não funciona como nos filmes. Acabou, desligou.

Mesmo que você nutra raiva, ou ódio pela pessoa, quando toda essa energia ruim passar, volta as lembranças boas e o sentimento simbiótico retorna, mesmo que você não queira e mesmo sentindo ódio da pessoa. É o sentimento humano que prevalece, não tem jeito. Se você é uma pessoa esclarecida, desprovida da capacidade de odiar, seja qual for a intensidade, não tem jeito. Voltará a pensar na pessoa.

Em uma situação como essa, a pessoa fica em uma posição no tempo, que é: exatamente onde você à viu pela última vez. É ali, exatamente naquele último olhar, naquela última presença, que a pessoa fica. Devido a essa condição, o termino de um relacionamento é visto como um “corte no tempo”, no tempo de convívio com a pessoa.

A forma física da pessoa e tudo ficam exatamente naquele instante do tempo. Se você vier a se lembrar da pessoa, irá se lembrar dela com aquela fisionomia, com aquela característica. Não importa quanto tempo passe, você sempre se lembrará da pessoa com aquela forma.

O mesmo ocorre quando você trabalhar muitos anos em uma empresa e de repente acabou seu tempo de serviço na empresa, seja por ter sido mandado embora, seja por ter que se aposentar, não importa o motivo. Naquele momento há uma ruptura.

E tudo fica exatamente na posição em que o tempo deixou. Você leva consigo a lembrança, mas sabe que ela não envelhecerá, mas as pessoas que passaram ou a pessoa com quem você dividiu aquele tempo de vida, envelhecerá.

É nisso que a lembrança é enganosa. Hoje em dia, apesar das redes sócias poderem manter o rosto de algumas pessoas atualizados e por um processo mágico, sua mente tenta atualizar as lembranças, as emoções não serão atualizadas. Por um simples motivo: Não há como fazer isso, por sem um momento único. Um momento que pode ser capturado por algumas fotos e lido pela emoção dos que viveram aquele momento. Mas jamais será a mesma coisa.

Se você voltar em suas lembranças vai ver que isso de fato acontece. Me lembro com perfeição da última vez que vi meu Velho Pai antes dele partir. E o tempo dele congelou para mim exatamente naquele momento. Sei que hoje ele estaria mais velho e não teria a aparência das minhas lembranças, talvez nem o sorriso que vi pela última vez, poderia estar cansado e talvez não tivesse o mesmo jeito ou a mesma tonalidade.

E assim, acontece com seus relacionamentos: A lembrança é doce ou amarga, mas é enganosa porque fica no tempo onde sua memória a capturou. É um momento no tempo e não o acompanha. Tenho certeza que talvez você nunca tenha pensado dessa maneira. Mas se já pensou alguma vez, fique à vontade para deixar seu comentário.
Muito Obrigado por ler Meu Blog e até me próximo texto!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Você não gosta de ser fotografado.

Não poderia deixar de escrever esse texto... É mais um registro para pequenas coisas que acontecem em nossas vidas que merecem um registro para posteridade, ainda mais que temos tantas e tantas formas de manter nossas vidas registradas e compartilhadas. Oscar Niemeyer viveu 104 anos e faltando 10 dias para completar seus 105o. Aniversário, veio a falecer e deixou a seguinte mensagem: “... Porque eu acho que a vida é assim. A gente tem que separar as coisas. A vida é chorar e rir a vida inteira. Aproveitar os momentos de tranqüilidade e brincar um pouco. Depois, os outros é aguentar. A vida é um sopro né?”. Antigamente tirar uma fotografia era coisa tão cara que as fotografias eram póstumas. Essas fotos se chamavam Post Mortem. A foto era tirada da pessoa morta como se estive viva. Eles vestiam o morto e colocava em uma posição, como se estive vivo e fotografavam. Com o passar dos anos e a evolução tecnológica qualquer celular básico tem uma câmera. E os smartphones tem capacidade de tira…

Você sabe o que é miopia de alto grau? Fale como o Ramiro Diz.

Tenho um amigo que trabalha comigo que usa óculos desde de os sete anos de idade. Como ele morou  em Portugal... Seus parentes são portugueses.. Oras pois!

Ramiro Diz pá! é o nome do gagio!


Hoje, ele usa 22,0 graus de miopia. Me contou que usa óculos desde os 7 anos de idade. Seu grau de miopia nesta idade já chegava aos 12 graus.

Quando foi ao oftamologista pela primeira vez, este receitou inicialmente um grau abaixo do que ele usava para que se acostumasse com o óculos. Um pouco de psicologia infantil para ajudar o menino a enxergar e brincar.

Eu também sou miope, uso 4 graus de miope em ambos os olhos, comecei a usar óculos aos 18 anos  de idade, mas nestes números o Ramiro saiu na frente disparado logo ao 7 anos de idade... 12 graus! é muita coisa!

Mas graças a tecnologia podemos enxerga com tranquilidade, usando um belo e estiloso de um par óculos.

Hoje óculos é item de moda, tem muitas pessoas que usam a armação apenas como adereço... Isso mesmo! Usam o óculos sem grau! Só pra f…

MATANDO UM LEÃO POR DIA...

Eu gosto de escrever meu próprios artigos, mas algumas vezes recebemos alguns emails que trazem consigo uma lição de vida tão interessante, que alguns que recebo, passei a colocá-los no Blog. 
Eu estava na casa da Minha Elaine, quando ela começou a ler o texto em voz alta, estando ela sentada no chão na sala. Não posso negar que ela me conhece bem, tenho certeza que ela o fez sabendo que isso iria me chamar a atenção. Pensei... Por traz deste texto tem algo interessante. Assim que ela terminou o texto, falei: Manda pra mim por favor?
Bom... Veja o texto na integra...

MATANDO UM LEÃO POR DIA ... Em vez de matar um leão por dia, aprenda a amar o seu. Por Pierre Schurmann
Outro dia, tive o privilégio de fazer algo que adoro: fui almoçar com um amigo, hoje chegando perto de seus 70 anos. Gosto disso. São raras as chances que temos de escutar suas histórias e absorver um pouco de sabedoria das pessoas que já passaram por grandes experiências nesta vida.
Depois de um almoço longo, no qual falamos…