Pular para o conteúdo principal

Deixar


A vida é um espaço estreito entre o nascimento e a morte onde você decidi como será sua velhice ou como passará por esse trecho.
Conversando com uma pessoa, gostaria de escrever o nome da pessoa aqui, mas tenho por certo que não gostara de vê-lo aqui. Então... Vamos em frente. Falávamos sobre a vida e foi em um desses momento que a pessoa falou com um tom de amargura sobre suas mágoas. Um desentendimento ocorrido no passado que fez com que ela perdesse contato com algumas pessoas das quais ele não gostaria. Considerou um preço muito alto o valor pago pelo acontecimento.
Isso me motivou a escrever este texto, neste blog já publiquei um texto chamado Destralhar-se onde o texto fala sobre jogar coisas e sentimentos foras.
Por mais que tenha tentado dissuadir a pessoa de tal sentimento, não consegui porque percebi que não se tratava de um simples destralhar-se... O caso, do meu ponto de vista, um assunto que pode ser resolvido em um divã com um bom psicanalista do lado.
Não acho que a vida da muito tempo pra você ficar carregando sentimentos amargos e ressentimentos sem futuro. Quanto mais rápido você aprende a descartar aquilo que não serve, mas rápido libera o caminho para coisas novas. Imagine você terminar um relacionamento e ficar mastigando aquilo, ruminando e remastigando... Para! Cospe isso! Já era!
Enquanto você tem força física, tem beleza e outros dons que a juventude e a vida madura lhe oferece, não pode ficar perdendo tempo colocando carga sobre a vida e tornando ela mais difícil de seguir em frente. Quando mais rápido, drop off! Melhor para você seguir em frente. Ficar ressentindo a vida não vai tornar nenhum ser humano melhor, nem fazer o tempo voltar atrás.
É melhor ressentir um passeio gosto que você fez, um momento maravilhoso que você passou ou pode passar para lhe impulsionar pra frente que ficar preso como prego a parede.
Quando as forças acabarem e você perceber que tudo passou, vai sim ressentir de não ter deixar as besteiras para trás. Vai ter que fazer uma reengenharia de vida para se adequar com as forças que tem... E isso! Se souber fazer essa reengenharia. Por que senão desenvolver o habito de Drop off (deixar... simples assim). Nunca saberá fazer isso quando as forças forem reduzidas ou quando envelhecer.
Vou ficar por aqui...
Muito Obrigado por ler Meu Blog e até me próximo texto!
Fique a vontade para deixar seu comentário.


Comentários

  1. Adalba, sensacional seu texto!

    Eu diria que se o divã não resolver, ai é torcer para que o Alzheimer, transforme os últimos dias em páginas em branco e que assim a felicidade seja encontrada novamente no esquecimento.

    Abs.

    Bruno José Patrussi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bruno, Sinceramente, achei sua "torcida" uma tremenda maldade. Se você conhecer alguém que tem alzheimer ou tiver algum parente assim, tenho certeza que vai desejar encontrar a cura. É uma doença que vai roubando a dignidade das pessoas. Eu prefiro que a pessoa procure um psicologo mesmo.

      Excluir
    2. Adalba,
      Meu Tio tem Alzheimer, e também espero que encontrem uma cura, mas como eu disse, se o divã não resolver!
      Você conhece algum velho que não pensa em mais nada a não ser lamentar-se da infelicidade que ele mesmo criou pelos motivos citados no seu texto? Pois bem conheço muitos e posso te garantir, se o divã não resolver no caso deles o Alzheimer aliviaria e muito os últimos dias, pois é de dar dó esse tipo de situação infelizmente.

      Abs.

      Bruno

      Excluir
    3. Bruno,
      Do meu ponto de vista, com todo respeito a sua forma de ver a situação, ainda assim acho que Alzheimer é um castigo muito duro para qualquer um. Infelizmente a situação de dó a qual você menciona, do meu ponto de vista, se tornaria penúria tanto para quem tem, quanto para quem esta a volta. É muito doloroso. Consciente, o indivíduo pode sofre mas, sabe o motivo. A doença, olhando para o indivíduo em si, ele por ele é um alívio à ele. Mas para quem esta a volta é penúria.
      Espero que entenda meu ponto de vista.

      Abraços.

      Excluir
  2. Texto bacana. Parabéns !!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Você não gosta de ser fotografado.

Não poderia deixar de escrever esse texto... É mais um registro para pequenas coisas que acontecem em nossas vidas que merecem um registro para posteridade, ainda mais que temos tantas e tantas formas de manter nossas vidas registradas e compartilhadas. Oscar Niemeyer viveu 104 anos e faltando 10 dias para completar seus 105o. Aniversário, veio a falecer e deixou a seguinte mensagem: “... Porque eu acho que a vida é assim. A gente tem que separar as coisas. A vida é chorar e rir a vida inteira. Aproveitar os momentos de tranqüilidade e brincar um pouco. Depois, os outros é aguentar. A vida é um sopro né?”. Antigamente tirar uma fotografia era coisa tão cara que as fotografias eram póstumas. Essas fotos se chamavam Post Mortem. A foto era tirada da pessoa morta como se estive viva. Eles vestiam o morto e colocava em uma posição, como se estive vivo e fotografavam. Com o passar dos anos e a evolução tecnológica qualquer celular básico tem uma câmera. E os smartphones tem capacidade de tira…

Você sabe o que é miopia de alto grau? Fale como o Ramiro Diz.

Tenho um amigo que trabalha comigo que usa óculos desde de os sete anos de idade. Como ele morou  em Portugal... Seus parentes são portugueses.. Oras pois!

Ramiro Diz pá! é o nome do gagio!


Hoje, ele usa 22,0 graus de miopia. Me contou que usa óculos desde os 7 anos de idade. Seu grau de miopia nesta idade já chegava aos 12 graus.

Quando foi ao oftamologista pela primeira vez, este receitou inicialmente um grau abaixo do que ele usava para que se acostumasse com o óculos. Um pouco de psicologia infantil para ajudar o menino a enxergar e brincar.

Eu também sou miope, uso 4 graus de miope em ambos os olhos, comecei a usar óculos aos 18 anos  de idade, mas nestes números o Ramiro saiu na frente disparado logo ao 7 anos de idade... 12 graus! é muita coisa!

Mas graças a tecnologia podemos enxerga com tranquilidade, usando um belo e estiloso de um par óculos.

Hoje óculos é item de moda, tem muitas pessoas que usam a armação apenas como adereço... Isso mesmo! Usam o óculos sem grau! Só pra f…

MATANDO UM LEÃO POR DIA...

Eu gosto de escrever meu próprios artigos, mas algumas vezes recebemos alguns emails que trazem consigo uma lição de vida tão interessante, que alguns que recebo, passei a colocá-los no Blog. 
Eu estava na casa da Minha Elaine, quando ela começou a ler o texto em voz alta, estando ela sentada no chão na sala. Não posso negar que ela me conhece bem, tenho certeza que ela o fez sabendo que isso iria me chamar a atenção. Pensei... Por traz deste texto tem algo interessante. Assim que ela terminou o texto, falei: Manda pra mim por favor?
Bom... Veja o texto na integra...

MATANDO UM LEÃO POR DIA ... Em vez de matar um leão por dia, aprenda a amar o seu. Por Pierre Schurmann
Outro dia, tive o privilégio de fazer algo que adoro: fui almoçar com um amigo, hoje chegando perto de seus 70 anos. Gosto disso. São raras as chances que temos de escutar suas histórias e absorver um pouco de sabedoria das pessoas que já passaram por grandes experiências nesta vida.
Depois de um almoço longo, no qual falamos…