Pular para o conteúdo principal

Bruno José Patrussi – O Crítico do Blog


Este blog tem um leitor crítico que já foi mencionado no Blog “Memórias de um Sessentão” no texto Carta aberta a Bruno José Patrussi.
Tive o privilégio de conhecer Bruno pessoalmente, trabalhamos juntos. Ele sempre estava pronto e disposto a uma discussão aberta. Não se trata de brigar, não! Discutir mesmo! Gostava de discutir profundamente um assunto e não tinha o menor problema em simplesmente dizer “Você esta certo” ou “Concordo com você” quanto percebia que seu ponto de vista não estava correto.
Hoje graças ao Blog, devido à distância e caminhos diferentes tomados em nossas vidas, ele continua a ler meus textos e algumas vezes sugerir que escreva sobre algum tema, para que possamos discutir.
Veja na integra o texto legal e a sugestão de postagem que ele me mandou...
“O assunto: Vi o texto abaixo e na hora me lembrei de você!
Vi o texto abaixo e na hora me lembrei de você, rss
Como você bem sabe sou um cara muito chato, rss pelo menos é o que os amigos sinceros me dizem, e lendo esse texto, me lembrei de alguns pensamentos que costumo ter ao ler alguns dos seus blog´s, não os relacionados ao conteúdo os quais considero o máximo e dou meus parabéns, mas sim por alguns erros ao usar a norma culta da língua, eu nunca comento nada, por e-mail é claro, pois sei o quanto é corrido o nosso dia, e esses percalços são devido a pressa.
Porem se ao invés de guardar para mim esses meus pensamentos, eu os enviasse por e-mail para você, não ficaria nada surpreso se um dia o retorno fosse um texto como esse que envio abaixo, e para piorar incluindo o último paragrafo. rss  
 “Sou feliz pelos amigos que tenho. Um deles muito sofre  pelo meu descuido com o vernáculo. Por alguns anos ele sistematicamente me enviava missivas eruditas com precisas informações sobre as regras da gramática, que eu não respeitava, e sobre a grafia correta dos  vocábulos, que eu ignorava. Fi-lo sofrer pelo uso errado que fiz de uma palavra no último “Quarto de Badulaques”. Acontece que eu, acostumado a conversar com a gente das Minas Gerais, falei em “varreção” – do verbo “varrer”. De fato, trata-se de um equívoco que, num vestibular, poderia me valer uma reprovação. Pois o meu amigo, paladino da língua portuguesa, se deu ao trabalho de fazer um xerox da página 827 do dicionário, aquela que tem, no topo, a fotografia de uma “varroa”(sic!) ( você não sabe o que é uma “varroa”?) para corrigir-me do meu erro. E confesso: ele está certo. O certo é “varrição” e não “varreção”. Mas estou com medo de que os mineiros da roça façam troça de mim porque nunca os vi falar de “varrição”. E se eles rirem de mim não vai me adiantar mostra-lhes o xerox da página do dicionário com a “varroa” no topo. Porque para eles não é o dicionário que faz a língua. É o povo. E o povo, lá nas montanhas de Minas Gerais, fala “varreção” quando não “barreção”. O que me deixa triste sobre esse amigo oculto é que nunca tenha dito nada sobre o que eu escrevo, se é bonito ou se é feio. Toma a minha sopa, não diz nada sobre ela mas reclama sempre que o prato está rachado.”
Autor: Rubem Alves.
Sou um grande Fã do seu Blog!
Um grande abraço.”

Eu gostei do texto e principalmente da sinceridade perspicaz do meu amigo Bruno.
Obrigado Brunão.
Vou ficar por aqui...
Muito Obrigado por ler Meu Blog e até me próximo texto!

Fique a vontade para deixar seu comentário.

Comentários

  1. Adalba, Só tenho uma palavra SENSACIONAL!!
    Que 2013 seja repleto de histórias em seu Blog.

    Abs.
    Bruno

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que assim seja meu amigo Bruno!
      Sucesso a todos nós.
      Muito Obrigado.

      Excluir
  2. Desculpem os bons em gramática, mas nunca compreendi a nossa lingua! Por isso cometo muitos erros! :( é triste eu sei. MAs sou boa em matemática e suas complicações! Serve para algo?

    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sempre penso que o importante é se expressar... Os erros fazem parte de nosso aprendizado. E fala Sério!?! O linguazinha complicada essa nossa. Bom... Pensando bem Chinês deve ser mais. ;D

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Você não gosta de ser fotografado.

Não poderia deixar de escrever esse texto... É mais um registro para pequenas coisas que acontecem em nossas vidas que merecem um registro para posteridade, ainda mais que temos tantas e tantas formas de manter nossas vidas registradas e compartilhadas. Oscar Niemeyer viveu 104 anos e faltando 10 dias para completar seus 105o. Aniversário, veio a falecer e deixou a seguinte mensagem: “... Porque eu acho que a vida é assim. A gente tem que separar as coisas. A vida é chorar e rir a vida inteira. Aproveitar os momentos de tranqüilidade e brincar um pouco. Depois, os outros é aguentar. A vida é um sopro né?”. Antigamente tirar uma fotografia era coisa tão cara que as fotografias eram póstumas. Essas fotos se chamavam Post Mortem. A foto era tirada da pessoa morta como se estive viva. Eles vestiam o morto e colocava em uma posição, como se estive vivo e fotografavam. Com o passar dos anos e a evolução tecnológica qualquer celular básico tem uma câmera. E os smartphones tem capacidade de tira…

Você sabe o que é miopia de alto grau? Fale como o Ramiro Diz.

Tenho um amigo que trabalha comigo que usa óculos desde de os sete anos de idade. Como ele morou  em Portugal... Seus parentes são portugueses.. Oras pois!

Ramiro Diz pá! é o nome do gagio!


Hoje, ele usa 22,0 graus de miopia. Me contou que usa óculos desde os 7 anos de idade. Seu grau de miopia nesta idade já chegava aos 12 graus.

Quando foi ao oftamologista pela primeira vez, este receitou inicialmente um grau abaixo do que ele usava para que se acostumasse com o óculos. Um pouco de psicologia infantil para ajudar o menino a enxergar e brincar.

Eu também sou miope, uso 4 graus de miope em ambos os olhos, comecei a usar óculos aos 18 anos  de idade, mas nestes números o Ramiro saiu na frente disparado logo ao 7 anos de idade... 12 graus! é muita coisa!

Mas graças a tecnologia podemos enxerga com tranquilidade, usando um belo e estiloso de um par óculos.

Hoje óculos é item de moda, tem muitas pessoas que usam a armação apenas como adereço... Isso mesmo! Usam o óculos sem grau! Só pra f…

MATANDO UM LEÃO POR DIA...

Eu gosto de escrever meu próprios artigos, mas algumas vezes recebemos alguns emails que trazem consigo uma lição de vida tão interessante, que alguns que recebo, passei a colocá-los no Blog. 
Eu estava na casa da Minha Elaine, quando ela começou a ler o texto em voz alta, estando ela sentada no chão na sala. Não posso negar que ela me conhece bem, tenho certeza que ela o fez sabendo que isso iria me chamar a atenção. Pensei... Por traz deste texto tem algo interessante. Assim que ela terminou o texto, falei: Manda pra mim por favor?
Bom... Veja o texto na integra...

MATANDO UM LEÃO POR DIA ... Em vez de matar um leão por dia, aprenda a amar o seu. Por Pierre Schurmann
Outro dia, tive o privilégio de fazer algo que adoro: fui almoçar com um amigo, hoje chegando perto de seus 70 anos. Gosto disso. São raras as chances que temos de escutar suas histórias e absorver um pouco de sabedoria das pessoas que já passaram por grandes experiências nesta vida.
Depois de um almoço longo, no qual falamos…