segunda-feira, 1 de outubro de 2012

O Frango Vidente

Frango Adivinho
Estávamos todos conversando na sala descontraidamente quando começamos a falar de gravidez e filhos. Quando o Seu Paulo contou que precisou vender 100 frangos só pra comprar uma bendita de uma boneca chamada “Bate Palminha" pra sua filha Katia quando essa era criança.
Em meio a conversa, ele lembrou que havia comprado um frango na semana pra fazer a tal simpatia do "Frango". Foi então que fiquei curioso e quis saber do que se tratava.
Queria saber o que a era e de onde veio essa simpatia do "Frango"...
Seu Paulo contou que em São Simão-SP havia uma única parteira a qual segurou a ele e a todos os 13 irmãos. Essa senhora se chamava Jeroma. E em homenagem a ela, segundo ele contou, o prefeito da cidade na época de nome Celão, fez um berçário e a homenageou, dando o nome de Berçário Dona Jeroma. Pesquisando na internet, verifiquei que o nome correto é “Jeronyma Ignacia de Jesus Esteca Dona Jeroma Berçário”.
Essa senhora, quando uma mulher grávida entre quatro e seis meses a procurava, ela fazia uma simpatia com um frango para saber o sexo da criança da qual nunca falhou ao longo de sua vida de parteira.
Essa simpatia ela ensinou a mãe de Seu Paulo que por sua vez ensinou a ele. E hoje muitas mulheres grávidas na cidade que o conhecem, o chamam pra fazer a tal simpatia.
Minha mãe conta que essa simpatia é muito antiga e que essas simpatias antigas não falham, mas não se explicou muito. A mãe de Seu Paulo viveu mais de 90 anos então acredito que essa simpatia deve ser centenária.
O povo brasileiro e crédulo em sua constituição: índios, negros e brancos. E seus agregados que viram depois fizeram essa nação que é um misto de crendices, crenças e religiões. Onde cada qual segundo seu entendimento busca sua salvação onde melhor lhe agradar. Assim se firma a nossa democracia e o respeito pela liberdade de religião. Já escrevi sobre Crendices um tempo atrás.
Ele contou que certa vez fez a tal simpatia em secreto, por que a mãe não queria saber o sexo da criança, sendo ele amigo da família, escreveu em um papel e guardou. Quando a criança nasceu antes que o pai falasse alguma coisa ele falou: "Nasceu o Cauê?!". O pai perguntou como sabia, foi então que contou que havia feito a tal simpatia a muito tempo atrás e entregou o papel ao pai.
Um outro feito que ele contou foi que uma senhora lhe pediu a simpatia, ele fez. No entanto, para garantir o resultado, ela pediu para repedir a simpatia. Ele não quis fazer e disse a ela que poderia vir gêmeos. Não repetiu a simpatia.
O confiança na simpatia é tal que quando uma de suas filhas estava grávida ele fez a simpatia e disse a ela: "Pode comprar azul, Filha”. E de fato nasceu um menino.  Sua filha contou que comprou de fato tudo azul, mas fez cinco ultrassons que confirmaram o sexo de menino.
Entre ou casos que contou da tal simpatia, contou que certa vez uma senhora o chamou pra fazer a tal simpatia, mas já lhe havia comentado que gostaria muito que fosse uma menina. Ele fez a tal simpatia e ficou aguardando o resultado, quando foi dar uma olhada no frango estava sinalizando ser um menino. Ele ficou preocupado em falar pra ela o resultado, mas tinha que falar. Então saiu do local onde estava o frango e foi até a cozinha. Quando voltou viu que o frango sinalizava uma menina e de fato nasceu uma menina.
Curioso por saber como era a tal simpatia, perguntei como ele fazia. Veio a explicação:
Você tem que comprar um frango vivo. Não pode ser galinha, nem galo.
Senta em uma banco e segura o frango pelo pescoço.
Fala o nome da mulher grávida e mentaliza a imagem dela em sua mente.
Em seguida pergunta o sexo da criança e destronca o pescoço do frango.
Larga o frango no chão, vira as costa e sai do lugar.
Não pode ver o frango morrendo.
Aguarda o frango morrer.
Quando voltar, se o frango estiver com as costas no chão e os pés pra cima: é menina. Se estiver de lado é menino.
Coisa bem estranha! Não?!
Do meu ponto de vista é mais simples fazer um ultrassom, Não?! Mas naquela época não era tão fácil como hoje e por este motivo as pessoas apelavam para esse tipo de simpatia.
A discussão a partir daqui pode ficar extensa, pois quem usa animal em simpatia, esta fazendo oferenda e no caso só não sabe que esta fazendo isso... Tô certo?! Ou tô errado? Me ajuda ai Ohhh. E faça seu comentário!
Bom... Vou ficar por aqui.
Muito Obrigado por ler Meu Blog e até me próximo texto!

6 comentários:

  1. Finalizou o texto como o Datena. É isso aí (como Seu Jorge e Ana Carolina). Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Adalba, você tá ficando bom nisso heim!!
    Comecei a ler e achei que estava lendo uma das histórias do Tadeu (Memórias de um Sessentão) até que veio a cidade São Simão SP, ai pensei não pode ser é uma das do Adalba mesmo, que sensacional!!
    Pena só agora saber dessa simpatia, pois quando eu era criança, minha mãe sempre matava os frangos destroncando o pescoço, era um costume, e nunca me atentei para a posição que ele ficava depois de morto.
    Tirando o fato de se utilizar um animal, essa simpatia vai contra todas as regras da probabilidade, pena não dar os números da Mega-Sena, rss

    Abraços

    Bruno José Patrussi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bruno,
      Só ser comparado ao Sr.Tadeu contando histórias já me sinto feliz.
      Esse comparativo é para mim um elogio.
      Tem grande admiração ao Sr.Tadeu.

      []'s
      Adalberto

      Excluir
  3. Nossa que historia hem!!!
    sei varias outras...,mas esta eu não sabia não.
    Prefiro o ultrasson,pois se tiver que matar o bichinho pra isto
    nem pensar,nem para comer tenho coragem, prefiro comprar.
    abraços

    ResponderExcluir
  4. Vó jeroma. Queria colecionar mais historias assim de minha bisavó.

    ResponderExcluir