Pular para o conteúdo principal

O cachorro e a lata

Eu não sei como, nem porque vim parar aqui nesse quadrado. Minha dona chama isso de varanda. E daqui não consigo enxergar nada, a não ser estas paredes ao meu redor e a porta por onde ela entra. E tem uma abertura no alto cheio de telas por onde vejo o sol.
Ela sai pra trabalhar... Sai pra passear... Eu... Bom... Eu fico aqui. Algumas vezes ela me leva pra passear também.
Até que não é triste não! Ela me dá carinho, comida e me leva pra passear algumas vezes.
Eu ouvi ela conversando com o marido dela e eles falaram que eu sou um tipo de estágio para que eles tenham filhos... Isso aqui esta bem legal.
Certa vez eles falaram em fazer um churrasco para os amigos, para comemorar o aniversário de um amigo muito antigo. E todo mundo feliz!
Eu estava tranquilo em meu quadrado, quando ela entrou com alguns pacotes de lata. Como a festa seria no final de semana, colocaram mais algumas coisas lá também.
Meu quadrado que não é grande, ficou menor.
Quando ela saiu de casa. Trancou a porta. Fiquei olhando pro pacote e parece que ele também estava olhando pra mim. Não gostei muito da atitude dele e comecei a latir pra ele. Ele ficou parado. Considerei ele muito petulante e parti pra cima dele. Numa das minhas investidas um dos pacotes caiu no chão.
Fiquei invocado com aquela atitude do pacote em querer me agredir... ahhh ai sim foi que o bicho pegou! Parti pra cima dele. Mordidas e arrastos e uma das latas saiu do pacote... Começou a rolar. Tentei pegar... Ela escapou... Ai não deu! Parti pra cima dela também... Escapou. Sai pra cima dela com vontade desta vez... E ela escapando... Ai não deu! Dei-lhe uma mordida bem dada e la começou a fazer um barulho muito estranho e alto... Parecia minha Dona me pedindo para ficar quieto! Que insulto!  Xiiiiiii Que “Xiiiii” o quê!
Ai que foi uma confusão daquelas e começou a espirrar em mim e eu a latir pra ela... e era líquido para tudo quando é lado... Eu latindo e ela correndo... Até que eu cansei e ela parou com aquele barulho. É coloquei as coisas no lugar. Aqui no meu quadrado quem manda sou eu.
Fiquei tão cansado, já tinha tomado toda a aguá... Olhei pro chão e tinha aquele líquido lá... Ufa! Comecei a tomar ele mesmo para matar minha cede. Hummm... Não sei se foi a briga que me abateu... mas o líquido tinha um sabor diferente... Não era água!
Tomei tudo e fiquei meio devagar entrei na minha casinha!
Quando de repente ouvi Minha Dona me chamar e parecia bem loooonnnge... “Preto! Preto!”. Achei que estava sonhando... quando ouvi mais forte...Opss! Era ela mesmo!
Levantei e percebi que minhas patas não estavam muito boas... não estava nada firme... e parecei que eu estava com um soriso bobo na fuça. Quando ouvir ela gritando:
- Olha o que você fez?!! Esta tudo sujo de cerveja! Olha o teto... Nossa que fedo!!!
Eu só sei que depois disso minha vida mudou. Hoje moro em uma casa grande, tem espaço pra eu correr... Ahhh! Ela chama a minha nova dona de “Mamãe”.

Nota do autor: Eu escrevi na perspectiva do cachorro porque seu donos poderiam omitir os fatos.

Muito Obrigado por ler Meu Blog e até me próximo texto!

Comentários

  1. Adorei, já pode escrever livros infantis que será um sucesso total!!

    Parabéns

    Bruno

    ResponderExcluir
  2. Se foi você que escreveu, parabéns. Texto muito bem adjetivado e entrelaçado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kledson. Sim. Este texto fui eu quem escrevi e é baseado em fatos. Quando o texto não é de minha autoria procuro sempre identificar o autor ou início o texto informando que não se trata de um texto meu. A maioria dos textos desde blog são meus.
      Abs.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Você não gosta de ser fotografado.

Não poderia deixar de escrever esse texto... É mais um registro para pequenas coisas que acontecem em nossas vidas que merecem um registro para posteridade, ainda mais que temos tantas e tantas formas de manter nossas vidas registradas e compartilhadas. Oscar Niemeyer viveu 104 anos e faltando 10 dias para completar seus 105o. Aniversário, veio a falecer e deixou a seguinte mensagem: “... Porque eu acho que a vida é assim. A gente tem que separar as coisas. A vida é chorar e rir a vida inteira. Aproveitar os momentos de tranqüilidade e brincar um pouco. Depois, os outros é aguentar. A vida é um sopro né?”. Antigamente tirar uma fotografia era coisa tão cara que as fotografias eram póstumas. Essas fotos se chamavam Post Mortem. A foto era tirada da pessoa morta como se estive viva. Eles vestiam o morto e colocava em uma posição, como se estive vivo e fotografavam. Com o passar dos anos e a evolução tecnológica qualquer celular básico tem uma câmera. E os smartphones tem capacidade de tira…

Você sabe o que é miopia de alto grau? Fale como o Ramiro Diz.

Tenho um amigo que trabalha comigo que usa óculos desde de os sete anos de idade. Como ele morou  em Portugal... Seus parentes são portugueses.. Oras pois!

Ramiro Diz pá! é o nome do gagio!


Hoje, ele usa 22,0 graus de miopia. Me contou que usa óculos desde os 7 anos de idade. Seu grau de miopia nesta idade já chegava aos 12 graus.

Quando foi ao oftamologista pela primeira vez, este receitou inicialmente um grau abaixo do que ele usava para que se acostumasse com o óculos. Um pouco de psicologia infantil para ajudar o menino a enxergar e brincar.

Eu também sou miope, uso 4 graus de miope em ambos os olhos, comecei a usar óculos aos 18 anos  de idade, mas nestes números o Ramiro saiu na frente disparado logo ao 7 anos de idade... 12 graus! é muita coisa!

Mas graças a tecnologia podemos enxerga com tranquilidade, usando um belo e estiloso de um par óculos.

Hoje óculos é item de moda, tem muitas pessoas que usam a armação apenas como adereço... Isso mesmo! Usam o óculos sem grau! Só pra f…

MATANDO UM LEÃO POR DIA...

Eu gosto de escrever meu próprios artigos, mas algumas vezes recebemos alguns emails que trazem consigo uma lição de vida tão interessante, que alguns que recebo, passei a colocá-los no Blog. 
Eu estava na casa da Minha Elaine, quando ela começou a ler o texto em voz alta, estando ela sentada no chão na sala. Não posso negar que ela me conhece bem, tenho certeza que ela o fez sabendo que isso iria me chamar a atenção. Pensei... Por traz deste texto tem algo interessante. Assim que ela terminou o texto, falei: Manda pra mim por favor?
Bom... Veja o texto na integra...

MATANDO UM LEÃO POR DIA ... Em vez de matar um leão por dia, aprenda a amar o seu. Por Pierre Schurmann
Outro dia, tive o privilégio de fazer algo que adoro: fui almoçar com um amigo, hoje chegando perto de seus 70 anos. Gosto disso. São raras as chances que temos de escutar suas histórias e absorver um pouco de sabedoria das pessoas que já passaram por grandes experiências nesta vida.
Depois de um almoço longo, no qual falamos…