quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

A importância do "Não Sei"


Vasculhando em meus emails antigos entrei esta jóia rara que recebi de meu antigo colega de trabalho, Marcelo Nakamura. Veja o cabeçalho do e-mail (rsss):

-----Original Message-----
From: Nakamura, Marcelo
Sent: quinta-feira, 24 de fevereiro de 2005 13:55

É um texto de Max Gehringer, que é tão atual que irá certamente, ganhar vida próprio e perpetuar pela internet. O título do texto é A importância do "Não Sei".
Procurei na internet para confirmar o texto e o texto já esta esparramado pela internet. Vamos ao texto:
A importância do "Não Sei"
Se você ainda não sabe qual é a sua verdadeira vocação, imagine a seguinte cena:
Você está olhando pela janela, não há nada de especial no céu, somente algumas nuvens aqui e ali. Aí chega alguém, que também não tem nada para fazer, e pergunta:
- Será que vai chover hoje?
- Se você responder "com certeza" a sua área é Vendas:
- O pessoal de Vendas é o único que sempre tem certeza de tudo.
- Se a resposta for "sei lá, estou pensando em outra coisa", então a sua área é Marketing. O pessoal de Marketing está sempre pensando no que os outros não estão pensando.
- Se você responder "sim há uma boa probabilidade", você é da área de Engenharia. O pessoal da Engenharia está sempre disposto a transformar o universo em números.
- Se a resposta for "depende", você nasceu para Recursos Humanos. Uma área em que qualquer fato sempre estará na dependência de outros fatos.
- Se você responder "ah, a meteorologia diz que não", você é da área de Contabilidade. O pessoal da Contabilidade sempre confia mais nos dados no que nos próprios olhos.
- Se a resposta for "sei lá, mas por via das dúvidas eu trouxe um guarda-chuvas", então seu lugar é na área Financeira que deve estar sempre bem preparada para qualquer virada de tempo.
Agora, se você responder "não sei", há uma boa chance que você tenha uma carreira de sucesso e acabe chegando à diretoria da empresa. De cada 100 pessoas, só uma tem a coragem de responder "não sei" quando não sabe. Os outros 99 sempre acham que precisam ter uma resposta pronta, seja ela qual for, para qualquer situação. Não sei, é sempre uma resposta que economiza o tempo de todo mundo, e pré-dispõe os envolvidos a conseguir dados mais concretos antes de tomar uma decisão. Parece simples, mas responder "não sei" é uma das coisas mais difíceis de se aprender na vida corporativa.
Por quê? 
Eu sinceramente "não sei".


O texto tem uma sinceridade... nata e um fato... consolidado. Espero que tenha gostado.

Obrigado por ler meu Blog!

Até meu próximo texto.


sábado, 7 de janeiro de 2012

Presente manjado


Não faz muito tempo foi no Shopping Center Norte em São Paulo para fazer compra de cuecas e meias, porque se fosse para comprar roupas femininas seria “roupas intimas”...
Sei que quando entrei na loja chamei pra vendedora, falei o tamanho e pronto. Mais uma pergunta e pronto. O segundo item já tinha comprado. Fique feliz e comentei: Vendedor bom é assim, você chega fala e pronto!
Havia na mesma loja, outro casal comprando. E começamos a comentar sobre presentes de natal. Quando Minha Elaine comentou que o pai dela havia gostado muito da caixa de meias da Lupo que havia presenteado. A pessoa que estava comprando comentou que ele tinha um tio que sempre presenteava com um par de meias. Como todos já sabiam que eram meias, nem se davam ao trabalho de abrir o presente. Simplesmente agradecia e colocava o presente de lado. Quando ele comentou isso caiu minha ficha... Os sabonetes!
Todo natal, me preocupo em fazer a distribuição de alguns presentes e lembranças. Como a família e grande tenho uma regra básica para presentear e para que as mulheres da família não fiquem sem nenhuma lembrança de natal no momento da distribuição dos presentes... eu as presenteio com um sabonete do “O Boticário”.
Como um filme o comentário feito sobre as meias, me fez rolar na cabeça exatamente o que aconteceu com os sabonetes... Me lembrei que na noite de natal, a única pessoa que abriu o presente quando entreguei foi minha mamãe... Simples! Todos já sabiam que o presente era um sabonete. Nem abriram o presente para ver qual o perfume... Sério! Quando o presente é batido é assim mesmo... Tanto faz o perfume é um sabonete mesmo! Nem havia me tocado disso... Rssss...
E mãe como é mãe... Abriu o presente e me agradeceu, no entanto, quando comentei com ela sobre a história das meias: Ela riu e falou que abria o presente por educação. Fala Sério!?!
Eu ri muito de lembrar o momento de troca de presentes no natal. Tentei imaginas elas recebendo o pacote com a embalagem d'O Boticário e pensando: Lá vem aquele sabonetinho de todo ano...
A minha professora da academia, a Sandra, já tinha me dado um toque quando fez o seguinte comentário: O Adalberto acha que sou fedida... todo ano me da um sabonete... Mas tudo bem eu gosto de ganhar sabonetes. Pode continuar me presenteando! (Ela foi gentil!).
Fala Sério? Tudo bem recebi a mensagem que todos devem ter pedido para me entregarem. Recebida e anotada.
Acho que vou trocar pelo menos as marcas: L'Occitane, Aguá de Cheiro, Natura e assim não fica tão batido!
Obrigado por ler Meu Blog!