terça-feira, 29 de novembro de 2011

Evolução Humana – Questões intrigantes


Em "Evolução Humana– Quem é seu pai? Quem é sua mãe?" escrevi sobre algumas possibilidades de combinações para fecundação “in vitro”. Depois em "Evolução Humana –Confusões genéticas" escrevi uma ficção fazendo referência aos possíveis problemas que isso poderá vir a trazer...
Achei esse tema tão intrigante que vou escrever mais sobre ele... Bem... Vamos lá!
Existem vários aspectos a serem abordados e discutidos sobre esse tema. E tenho certeza que já devem esta as voltas em discussão ao redor do mundo científico já a alguns anos, afinal esse tema não é tão novo. Com certeza vamos encontrar uma gama muito grande de temas para monografias, dissertações e teses. Principalmente por estar ligado ao ser humano. O ser social e sua relações interpessoais, ou seja, no contexto social. O ser humano no contexto psicológico e mesmo religioso.
Algumas perguntas me faço e estendo elas a você que esta lendo isso agora:
Como você se sentiria, ao tomar conhecimento de que você nasceu por meio de um processo chamado “adoção embrionária” e foi gerado em uma "barriga de aluguel"?
Ou seja, você nasceu ou você é um produto que seus pais desejaram tanto quanto um animalzinho de estimação? Peguei pesado agora... Não? Mas tente deixar de lado as emoções e faça um exercício racional da situação...
Não seria mas fácil e menos doloroso emocionalmente, saber que você é um filho adotivo e mais ainda, se desejar, pode ir buscar sua origem, saber quem são de fato seus pais?
Não, Não e Não. Tudo isso pra dizer que de fato... Como Ser Humano nenhuma dessas questões tem ou terão importância.
Na verdade, podemos considerar tudo isso secundário, ante ao simples fato de você ser um ser humano esclarecido e amado pelo que significa ao seus pais que te cria, educa e ama. Como ser social, suas contribuições a sociedade, poderão ser muito maiores que o simples fato de saber sua origem biológica. Do meu ponto de vista sua origem biológica se acerca mais a você, como indivíduo, o interesse é mais restrito a sua individualidade que a sociedade.
Sem falar que um processo como esse “adoção embrionária”, somado a “barriga de aluguel” deve custar muito caro e se você nasceu nessas condições, pode se considerar um felizardo... E senão conseguir se ver feliz é no mínimo ingratidão.

Afinal você sabe quanto custar ter um Bebê? Quanto que ele ou vai custar ao longo da sua vida? Tem coisas que o dinheiro não compra. 
Muito Obrigado por ler Meu Blog e até meu próximo texto!

Um comentário:

  1. Adorei a trilogia, pois está muito bem estruturada e com direito a uma reflexão em "Você sabe quanto custa ter um bebê?", meus parabéns.

    Quanto à questão concordo plenamente com o que foi dito, visto que os laços afetivos com os pais adotivos superam totalmente a obsessão humana pelo desconhecido, ou seja, nesse caso o amor vence a curiosidade que irá acompanhar a vida dessa pessoa e de outras milhares que não conhecem seus pais biológicos.

    ResponderExcluir