domingo, 21 de agosto de 2011

Valorizando coisas simples

No começo do meu namoro com a Elaine, estive na casa dos pais dela em Mococa, interior de São Paulo. Conheci o Sr. José Bueno, pai da Joia rara.
Um senhor de boa prosa, que você nem se dá conta de quanto tempo fica conversando com ele. Você começa falando de futebol, meu assunto favorito e vai passar por diversos deles e sempre passa ou chega em religião, ele gosta muito de falar de e sobre DEUS. Acredita em DEUS e pelo que percebo também temente a DEUS.
Não me lembro por qual motivo entramos no assunto viagem, também fica complicado de saber quando se conversa despretensiosamente... Me lembro dele ter feito uma observação que nunca mais me esqueci.  Sempre falo sobre isso com a filha dele... A mulher que amo Elaine Cristina... Me lembro que ele fez o seguinte comentário:
Você vai sempre encontrar pessoas diferentes pelo mundo... Tem pessoas que viaja o mundo inteiro, vai a tudo quanto é lugar. Teria muito assunto pra conversar, mas quando você vai conversar com ela e pergunta como foi a viagem, você tem uma resposta simples:
- É foi boa!
Agora tem gente que sai pra comprar um pão na padaria, dá uma topada em uma caixa de fósforo e volta contando uma história muito grande da “caixinha de fósforo”. Se vê?!! Tem gente muito diferente nesse mundo!
Como ele é mineiro... O “causo” fica gostoso de ouvi... UAI !!!
Me lembro como hoje, o Sr. Zé Bueno contando isso pra mim. Do meu ponto de vista este comentário ressalta o quanto é importante saber valorizar as coisas simples, isso vai te ajudar a valorizar as coisas maiores quando elas vierem.
Não há nada de errado com quem não gosta de falar ou não sabe contar as histórias dos caminhos por onde anda. Tem gente que fica preocupado com o que as pessoas iram pensar e por ai vai... não contam nem pra mãe!?!
Me perdoe se você é assim... mas fala sério?! É muito chato!
Obrigado por ler Meu Blog!
Até meu próximo texto!

3 comentários:

  1. Meu amigo Adalba, aquela declaração de amor me pareceu um pedido de desculpas por ter feito alguma merda e agora está tentando agradar p limpar tua barra, hahahahahaha.
    Quanto ao texto, não sei dizer se quem fica calado é chato, pois algumas vezes deparamos com pessoas que qdo vão contar algo fazem o maior rodeio, e falam muito, e aumentam, e inventam, e vc não aguenta mais, e começa a se irritar com o papo, e ele não te deixa escapar, e vc começa a inventar mentirar p/ sair, e tenta de todas as formas se desvencilhar e não consegue. Será que já passou por uma situação parecida?
    Pois bem, nunca reclame de quem fala pouco,é melhor assim!
    Na realidade, não tinha nada interessante p escrever, resolvi encher linguiça.

    Sandra Regina Miguel

    ResponderExcluir
  2. MUITO BOA OBSERVAÇÄO,EU GOSTO MUITO DE FALAR E DE CONTAR AS COISAS AOS DETALHES MAIS TEM GENTE DA QUAL EU PERCEBO QUE TAMBÉM NÄO ENTENDE ESTÁ MINHA FORMA DE SER.SENDO O CONTRÁRIO DAS PESSOAS DA QUAL VOCÈ COMENTAVA NA HISTÓRIA QUE NÁO É ASSIM.NO MEU CASO SOU SEMPRE ASSIM.TODAS AS COISAS SÄO IMPORTANTES PRA MIM PRINCIPALMENTE AS MAIS SIMPLES.

    Mercedes Esteve Ramos

    ResponderExcluir
  3. Adalba,
    Eu nem preciso dizer que sou do tipo que fala pelos cotovêlos quando o assunto é falar sobre os esportes de aventura que pratico, porêm tenho que concordar com a Sandra, as vezes é melhor ficar quieto e falar pouco quando estamos deslocados de nosso contexto. De qualquer forma valorizo demais quem sabe dar valor as coisas simples dessa vida, pois ao final dela, levaremos a experiência adquirida durante todo o caminho e não necessariamente a do final dele.

    Abraços

    Bruno José Patrussi, vulgo Forrest Gump, rss

    ResponderExcluir