quarta-feira, 18 de maio de 2011

“Não criticar, Não condenar e Não reclamar”

“Não criticar, Não condenar e Não reclamar”. Esta é uma das frases de Dale Carnegie, autor do livro “Como Fazer Amigos e Influênciar Pessoas”, que deve sua primeira edição escrita em 1937.

Esta frase me motivou a escrever este texto, principalmente porque estabelece uma paradoxo que achei muito interessante escrever...

Um profissional que trabalha como técnico ao longo de sua vida o que mais aprende a fazer é criticar, condenar e reclamar.

Criticar o trabalho dos outros e muitas vezes é cobrado a fazer isso. A final precisa garantir que seu trabalho saia bem feito e não é qualquer pessoa que vai atrapalhar que isso seja feito!

Já fui um desses, a ponto do Fabio Petrillo me dizer:
- Adalberto, fala sério! Você é muito cavalo, meu!

E eu achava tudo muito normal, meu papel era e continua sendo... fazer bem o meu trabalho. E por vezes não suportava perguntas que considerava estupidas, sem entender que: Quem não sabe esta aprendendo e não tem obrigação de saber. E por isso pergunta!

Como não criticar se você passou o longo de sua vida criticando a si mesmo e ao trabalho dos outros? Como não condenar quando sua função por muitas vezes foi condenar o trabalho mal-feito dos outros? Como não reclamar se ao longo de sua carreira você, no seu papel foi fazer isso quase que compulsivamente, quando você precisa defender seu papel como técnico?

Fazendo isso sempre, chega uma hora que você não consegue separar a crítica do trabalho técnico, da crítica ao profissional que o fez. E dependendo da forma que você fala, fica impossível ao interlocutor entender diferente e por fim acaba entendendo que que á crítica é geral. E o assunto caminha para o lado pessoal. Isso aconteceu comigo muitas vezes... E ainda acontece principalmente quando me empolgo...

Da mesma forma é válido para condenar um trabalho feito e não a pessoa que o fez... E assim também reclamar do trabalho feito e não da pessoa quem o fez... Veja que existe uma linha muito tenue entre criticar, condenar ou mesmo reclamar de um trabalho e do profissional que é responsável por fazê-lo.

Mas com o passar do anos você vai percebendo que aquelas pessoas aquem você criticou o trabalho podem hoje impedir sua progressão, simplesmente por que não entenderam a sua forma de fazer a crítica.

Resumindo você vai ter que fazer uma manobra muito boa para fazer eles entenderem que você cresceu, mais como pessoa do que como profissional, principalmente porque como profissional... seu currículo pode mostrar isso, mas como pessoal... Isso não é tão simples de colocar no currículo. Este é o currículo que as pessoas dão a você.

O importante é sempre tentar enxergar onde começa a crítica, a condenação e a reclamação ao trabalho, separando o lado pessoal do lado profissional. E isso é feito com muito cuidados nas palavras, saber lidar com as pessoas nesta hora é muito mais dificil que simplesmente dar um paracer técnico ou falar sobre um trabalho mal-feito.

Hoje tento entender esse lado humano e principalmente tento separar as criticas que são direcionadas ao meu trabalho e a mim mesmo como pessoa e não levar para o lado pessoal. Mas entender que sempre posso aprender em qualquer situação, bem como ensinar se tiver oportunidade.

Não adiante levar ressentimento e principalmente criá-los em outras pessoas. O cuidados com as palavras e a atenção com as pessoas vai me ensinar e a você também a não criticar, não condenar e não reclamar sem antes levar em consideração a situação e as pessoas envolvidas.

Da mesma forma que o ser humano tem capacidade e inteligência para lidar com situações técnicas, tem as mesmas qualidades para aprender a lidar com pessoas. Só ter interesse... Pois se algo em você não é nato, você pode adquirir.

Fique a vontade para comentar...

Obrigado por ler Meu Blog!

Até meu próximo texto!


3 comentários:

  1. Belo post cavalo

    ResponderExcluir
  2. Angelo Isaias Baggio19 de maio de 2011 05:01

    É isso aí Adalberto, as vezes somos criticados quando esperamos um elogio, e isto vai nos endurecendo a ponto de não mais esperar por elogios.

    Parabéns, ótimo post.

    ResponderExcluir
  3. Todas as vezes que critico, julgo e condeno algo ou alguém, é pq não parei para refletir sobre o ocorrido. Em relação a reclamar, é chatice mesmo. "Podemos dizer qualquer coisa para qualquer pessoa, depende da forma." Esta frase continua valendo. Posso cobrar ou questionar a falha ou falta de alguém, sem ser rude e sem magoar. Porém quando o fato acontece, imediatamente vem a reação, mas, se antes da reação paro p/ pensar, tudo muda! O fato é: tudo o que acontece gera um sentimento, e este gera uma reação. Se parar e pensar; e quando digo pensar, sugiro a respiração profunda para oxigenar melhor o cérebro; a reação muda e não se faz necessário machucar ninguém
    Parece complicado mas é fácil, a coisa fica resumida assim: Fato => sentir, pensar e agir. Analisar o sentimento para depois reagir, é muito bom para a tomada de atitude.
    É realmente muito importante saber separar a crítica ao trabalho e à pessoa, é mais ou menos como separar o malfeito do malfeitor. Dizer "vc é negligente" e "vc teve uma atitude negligente faz muita diferença". Nem sempre a pessoa que cometeu um "erro" é uma pessoa ruim, mas é assim que é julgada muitas vezes. Se analisarmos o que levou a pessoas a tomar determinada atitude, veremos que aquela seria a melhor atitude que ela poderia tomar de acordo com os conhecimentos, vivência, entendimento e história que ela possui.
    Nenhuma destas tarefas é fácil, até pq é necessário treino diário, e muita compreensão do outro, mas é plenamente possível.
    Vou parar por aqui, pq me empolgo escrevendo sobre este tipo de assunto, e sei q é só p comentar, no final já estou quase escrevendo outro texto.

    ResponderExcluir