Pular para o conteúdo principal

Tecnologia, onde estava você quando precisamos?

Vou trazer a discussão algo que talvez já tenha pensado, ou nunca passou pela sua cabeça... Ou talvez já tenha pensado, mas ainda não leu ou discutiu sobre o assunto...

Depois que aconteceu o terremo de proporções gigantescas no Japão, comecei a pensar sobre todas as tecnologias que temos disponíves hoje. São muitas, em número cada vez maior.

Hoje temos carros com ABS/EBD, Airbags, GPS, Bluetooth e tantas outra siglas e nomes que tem por trás um dispositivo de conforto ou de segurança. Temos um carro mais seguro que o outro... O Volvo que já foi eleito por várias vezes o carro mais seguro do mundo...

Agora pensa comigo: Um ônibus leva em viagem até 40 pessoas. em uma cidade grande como São Paulo, estando lotado leva mais de 60 pessoas. E se for um ônibus articulado, leva um número maior ainda...
Você já ouviu alguma notícia de ônibus com dois airbags por passageiros?! Ou com pelo menos metade dos ítens de segurança que tem em um carro moderno?!

Hoje temos aviões particulares que tem paraquedas gigantes que podem ser acionados pelo piloto em caso de pane no aparelho. Já ouviu falar de algum dispositivo de segurança que consiga salvar as pessoas em um avião como os 747-300 da Boeing em caso de falha na aeronave?!

Da mesma forma, nos hospitais mais modernos temos tanto aparelho para diagnosticar um problema de saúde, usando as tecnologias mais avançadas que já se tem conhecimento. Temos robos para auxílio cirúrgico e tudo mais...


O Japão é o pais que mais tem tecnologias e o que mais cria novas tecnologias, tem até tecnologia para fazer movimentação de braços mecânicos com os pesamentos, robos que tocam pianos e que leem partituras musicais, que ajudam na limpeza da casa e até robos acompanhantes.


Com tudo isso, onde estavam todas estas tecnologias aplicadas para ajudar a resolver o problema de vazamento nuclear das Usinas de Fukushima?! Cadê os robos que pode ser controlados remotamente através do pensamento humano?! Ou mesmo uma tecnologia que possa desativar o processo de fusão nuclear nos reatores danificados?!




Este vídeo mostra a chegada do tsunami no Japão. Ele me fez lembrar do filme 2012, onde construiram barcos gigantescos para salvar as pessoas no momento do cataclisma. E não tinha nenhum barco daqueles ou coisa parecida no Japão para evitar que mais de 10.000 pessoas morressem... Sabemos que muitas pessoas não perderam suas vidas graças as tecnologias de previsão de terremotos e tsumani. E foram avisadas a tempo. Mas ainda sim, morreram muitas pessoas... Percebe a distância que estamos da teoria e da prática?

Não temos uma tecnologia que possa fazer o salvamento de grandes massas, mas temos uma tecnologia para matar grandes massas.

Tudo que temos de tecnologia, em sua grande maioria serve para o conforto individual ou de um pequeno grupo... Não temos nada para salvar um número grande de pessoas da mesma forma que temos para matá-las.

Evoluimos muito em tecnologia em todo o mundo, mas em muitos aspectos ainda estamos na idade da pedra quando a questão é salvar vidas em grande quantidades em momentos de emergência.

Não estou com isso afirmando que as tecnologias desenvolvidas até o momento não são úteis, mas que precisa fazer o uso direcionado para estas novas situações. Alteramos o curso da natureza e ela reagiu e vai continuar até que se acomode novamente. Eu sinceramente, não acredito que isso venha a acontecer...

Fique a vontade para comentar...
Até meu próximo texto.

Comentários

  1. É meu brother isso nos faz pensar que não existe tecnologia que supere o curso da natureza no caso to japão, País com maior quantidade de dispositivos tecnológicos anti catastrofes, justamente pela sua posisão geográfica e o numero de pessoas que lá habitam.

    Pois bem vamos imaginar que água em algo que se comporta de acordo com terreno em outras palavras quando é necessário ela segue o curso gravitassional, se algo por infelicidade estiver nesse caminho com certeza será atropelado.

    Hoje o homem com a sua criatividade imagina, olha só que desperdício um espaço aparentemente vazio porque não habitá-lo então pegam suas super máquinas capazes de construir prédios, pontes até em baixo d'água e constroem as vezes cidades inteiras nestes lugares e vai tecnologia anunciando aos quatro ventos que são prédios e pontes super seguras ai vem um fenômeno da natureza cobra de volta o espaço que é dela e ao mesmo tempo contradiz toda a teoria cientifica por traz das tais contruções tecnologicamente indestrutível.

    Outro ponto legal que vc tocou foi no ponto de que como a tecnologia consegue matar tanto e não consegue salvar na mesma proporção, isso é uma equação que no mundo inteiro tem um responsável, "SEUS DIRIGENTES" quanto é investido na implantação da tecnologia em favor do povo e quanto é investido na mesma tecnologia contra o povo? devemos lembrar que a mesma tecnologia que salva vidas também mata tudo depende na mão de quem essa tecnologia esta.

    Portanto não devemos nos deixar enganar por esse desejo desenfreado de patentear tecnologia primeiro porque somente estará acessível para quem tiver dinheiro para pagar por ela e segundo porque nada supera o desejo natural das coisas.

    Nossas edificações são um belo exemplo disso se pegar-mos mapas antigos da cidade de São Paulo por exemplo onde mostra o traçado dos Rios Tietê, PInheiros, corrégos como o Aricandura é possível identificar que eram totalmente sinuósos e com uma distância bem grande dos grandes centros urbanos.

    Hoje com o chamado Bumm imobiliário o que fizeram? Modificaram o curso de rios e corrégos deixando-os o mais reto possível para atender a demanda imobiliária e dá-lhe prédios e casas ao lado de rios, fora que pessoas comuns também constroem suas casas em área de várzea as Prefeituras não intervem quando os rios ivadem os lugares fazem aquele alarde todo mas no final tudo fica como estava.

    Não sou contra a tecnologia muito pelo contrário mas quando dependemos do peder público para ter direito ai a coisa complica.

    ResponderExcluir
  2. Concordo com você sobre as novas tecnologias e a aplicações que são dadas as mesmas a curto prazo, você tem toda a razão.
    Eu diria que o mundo seria ainda melhor se ao invés de investirem primeiro nas tecnologias para destruição, conquista e dominio de territórios já ocupados, essa tecnologia fosse aplicada diretamente no dia a dia, os resultados seriam imediato.

    Mas infelizmente a história da civilização mostra que ainda somos dominados pela nossa genética, isso mesmo eu e você e todos os ditos seres humanos, somos dominados por algo invisível aos nossos olhos, a nossa herança genética, que ainda em nome da sobrevivência dá prioridade para o dominio da espécie em primeiro lugar e depois ao convivio em sociedade e etc.

    Dessa forma ainda levará muitas centenas de anos para que as mudanças genéticas em nossa civilização seja posta em prática e ai sim teremos uma sociedade em que a tecnologia será desenvolvida em primeiro lugar para o convivio em sociedade e por ultimo se ainda for necessário para o dominio dos demais.

    Enquanto essa mudança não ocorre, aproveitamos os frutos do nosso recente passado, como é o caso dos computadores, que ao criarem o ENIAC, a ARPNet entre outros com o objetivo de decifrarem mensagens, se comunicarem, etc durante a 2 Guerra e depois a guerra fria, hoje anos depois podemos utilizar essas tecnologias em nosso lar e com um baixissimo custo.

    Em relação ao terremoto do Japão eu estava ouvindo pela CBN que pela magnitude do mesmo, se o Japão já não utilizasse a alta tecnologia nas construções de casas e até mesmo nas usinas Nucleares, essa catastrofe seria algo nunca visto na fase da terra, se compararmos com o ocorrido em Kobi e no Haiti onde nem chegou perto de 8,9 graus, e mesmo assim morreram centenas de pessoas e a destruição foi absurdamente maior, o Japão até que sofreu uma "Marolinha" como diria o Lula.

    Infelizmente em relação a energia nuclear, ainda não dominamos totalmente a mesma, e por isso é tão complexo fazer com que uma particula depois de enriquecida para gerar energia, volte a ser novamente o mesmo material, ao invés de mesmo já desgastada pelo uso continue a emitir níveis absurdos de radiação e até mesmo podendo entrar em fusão por aquecimento da suas própria máteria que continua a gerar energia pela troca de eletrons em suas camadas de valências.

    Vamos ficar torcendo para que esse desastre natural ocorrido no Japão traga ótimos resultados a toda a civilização mundial, pois o ser humano sabe aprender com os erros muito mais rápido do que com os acertos. :-)

    Detalhe aqui no Brasil ainda continuam com o projeto de aumentar ainda mais as usinas Nucleares, e garanto que com nossa corrupção histórica, elas não serão tão seguras quanto as já existentes no Japão, pois aqui não é um pais de terremotos e tsunamis, mas até quando você saberia me dizer?

    Obs.: Acabei de ver no Google Maps que estamos a aproximadamente 372Km da usina de nuclear de Angra dos Reis, ou seja pelo menos que ocorrer um desastre natural por lá, não teremos que deixar nossas casas voando, e como Brasilia fica mais longe ainda eu diria que só os cariocas estão lascados de imediato com esse plano absurdo de energia nuclear do Brasil.

    Abraços

    Bruno José Patrussi

    Acredite em seus sonhos, pois só assim eles se realizarão

    "O sábio não se exibe, e por isso brilha. Ele não se faz notar, e por isso é
    notado. Ele não se elogia, e por isso tem mérito. E porque não está competindo,
    ninguém no mundo pode competir com ele." Lao Tsu - Tao Te King

    ResponderExcluir
  3. CARACA ADALBA, ficou pequeno p/ mim, tu e teus amigos mandam bem!!!!!PARABÉÉÉÉÉNS
    Serei breve,o grande problema é a prepotência do homem que se acha o ser superior e faz o que bem entende com a natureza sem se preocupar com o futuro.
    Porém, se esquece que não precisa mais do que um simples ser microscópico (bactérias e vírus) para acabar com uma população inteira, o que dizer de um tsunami, não é?
    Portanto meu amigo, nada é mais forte e poderosa do que a mãe natureza,e digo mais: a natureza não se vinga, nós é que colhemos os frutos que plantamos.
    Pobres de nós!
    Sandra Regina Miguel

    ResponderExcluir
  4. Pois é, Sr. Adalberto Nascimento! Li seu texto e percebi que de forma indignada você coloca em xeque a grande inteligência do homem, não é mesmo? Penso que sua pergunta "Tecnologia, onde estava você quando precisamos?" deva ser respondida da seguinte forma: "Onde estamos quando DEUS nos solicita?" Não vi em nenhum momento do que foi escrito (a não ser q eu tenha lido de forma rápida e sem perceber ou não citaram mesmo) a referência a Deus. Conseguimos enxergar a tecnologia, o conforto e a comodidade que ela nos proporciona, porém, não conseguimos enxergar nosso irmão que está ao lado faminto, com frio, com sede e sem esperança. Parece clichê, não? Mas é algo tão bobo porque vemos isso a todo instante ao nosso redor que é natural passar por cima de um semelhante nosso e nem nos indignarmos com sua condição desgraçada. Eu não estou rebatendo aqui suas críticas ou achando que o que vc escreveu não tem importância... muito pelo contrário. Porém, devemos passar a fazer uma leitura da vida com mais critério e mais sensibilidade e perceber que o mundo está morrendo em nossas mãos e Deus, com o livre arbítrio que nos deu, está assistindo a toda essa destruição com o coração sangrando. Japão é sinônimo de tecnologia, mas não o é no quesito solidariedade.
    Outro dia estava assistindo a um dos telejornais e um repórter fez questão de deixar claro que os brasileiros que ali estavam numa das áreas atingidas, foram os únicos até aquele momento a se mobilizarem e se movimentarem para ajudar os japoneses atingidos por esta catástrofe, enquanto que seus 'patrícios' não chegaram perto de tal intenção. Isso foi transmitido num telejornal, não sou eu quem está dizendo!!! Tem também a questão da retenção da humanidade por parte desta pequena ilha chamada Japão. Retenção, o que é isso? É lei que o casal não pode ter quantos filhos desejarem, é lei do aborto legalizado, é lei muitas outras atrocidades desse povo que de forma ou outra também corrobora para a deterioração do humano. Não me faz muita surpresa a 'Mãe Natureza' dar também seu recado quanto as suas leis, afinal, lei é lei!! Você sabe também que acompanhei num dos sites que as águas do tsunami acabaram com uma casa por dentro, parte de sua estrutura foi totalmente aniquilada e somente um 'altar religioso' ficou intacto? Incrível né? Da mesma forma que no Haiti parte de uma igreja foi destruída pelo terremoto na época, mas a CRUZ de JESUS CRISTO ficou intacta! Surpreso? Pois é, Sr. Adalberto... pra quê entender e possuir tanta tecnologia se não sabemos e ao menos queremos estar perto de Deus? Comece a prestar atenção nas pequenas coisas que aconteceram e que acontecem no mundo pra você começar a 'pescar' os cutucões que Deus nos dá. Eu sou uma expectadora e uma filha obediente de Deus, rezo pelo mundo todas as noites. Assisto o Datena e fico horrorizada com o que as pessoas fazem umas com as outras, vejo muitas pessoas caírem ao meu lado, mas sei que se eu cair, Deus estará lá pra me segurar. E quem vai segurar todo esse povo?

    Tenha um bom dia!

    Solange (da academia)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Você não gosta de ser fotografado.

Não poderia deixar de escrever esse texto... É mais um registro para pequenas coisas que acontecem em nossas vidas que merecem um registro para posteridade, ainda mais que temos tantas e tantas formas de manter nossas vidas registradas e compartilhadas. Oscar Niemeyer viveu 104 anos e faltando 10 dias para completar seus 105o. Aniversário, veio a falecer e deixou a seguinte mensagem: “... Porque eu acho que a vida é assim. A gente tem que separar as coisas. A vida é chorar e rir a vida inteira. Aproveitar os momentos de tranqüilidade e brincar um pouco. Depois, os outros é aguentar. A vida é um sopro né?”. Antigamente tirar uma fotografia era coisa tão cara que as fotografias eram póstumas. Essas fotos se chamavam Post Mortem. A foto era tirada da pessoa morta como se estive viva. Eles vestiam o morto e colocava em uma posição, como se estive vivo e fotografavam. Com o passar dos anos e a evolução tecnológica qualquer celular básico tem uma câmera. E os smartphones tem capacidade de tira…

Você sabe o que é miopia de alto grau? Fale como o Ramiro Diz.

Tenho um amigo que trabalha comigo que usa óculos desde de os sete anos de idade. Como ele morou  em Portugal... Seus parentes são portugueses.. Oras pois!

Ramiro Diz pá! é o nome do gagio!


Hoje, ele usa 22,0 graus de miopia. Me contou que usa óculos desde os 7 anos de idade. Seu grau de miopia nesta idade já chegava aos 12 graus.

Quando foi ao oftamologista pela primeira vez, este receitou inicialmente um grau abaixo do que ele usava para que se acostumasse com o óculos. Um pouco de psicologia infantil para ajudar o menino a enxergar e brincar.

Eu também sou miope, uso 4 graus de miope em ambos os olhos, comecei a usar óculos aos 18 anos  de idade, mas nestes números o Ramiro saiu na frente disparado logo ao 7 anos de idade... 12 graus! é muita coisa!

Mas graças a tecnologia podemos enxerga com tranquilidade, usando um belo e estiloso de um par óculos.

Hoje óculos é item de moda, tem muitas pessoas que usam a armação apenas como adereço... Isso mesmo! Usam o óculos sem grau! Só pra f…

MATANDO UM LEÃO POR DIA...

Eu gosto de escrever meu próprios artigos, mas algumas vezes recebemos alguns emails que trazem consigo uma lição de vida tão interessante, que alguns que recebo, passei a colocá-los no Blog. 
Eu estava na casa da Minha Elaine, quando ela começou a ler o texto em voz alta, estando ela sentada no chão na sala. Não posso negar que ela me conhece bem, tenho certeza que ela o fez sabendo que isso iria me chamar a atenção. Pensei... Por traz deste texto tem algo interessante. Assim que ela terminou o texto, falei: Manda pra mim por favor?
Bom... Veja o texto na integra...

MATANDO UM LEÃO POR DIA ... Em vez de matar um leão por dia, aprenda a amar o seu. Por Pierre Schurmann
Outro dia, tive o privilégio de fazer algo que adoro: fui almoçar com um amigo, hoje chegando perto de seus 70 anos. Gosto disso. São raras as chances que temos de escutar suas histórias e absorver um pouco de sabedoria das pessoas que já passaram por grandes experiências nesta vida.
Depois de um almoço longo, no qual falamos…