sábado, 6 de novembro de 2010

King Gillette e o princípio da gratuidade

Fiz a leitura de uma matéria muito interessante sobre Negócios Grátis.

O nome do artigo era "Por que o futuro dos negócios é grátis", o autor é Chris Anderson, editor-chefe da Revista Wired e autor do best-seller "A Cauda Longa", apresenta a economia da gratuidade, a freeconomics”

Um artigo muito interessante e começa contanto a historia do criador da Gillete, isso mesmo a lâmina de barbear, o Senhor King Gillette.

Mais interessante ainda foi saber que aos 40 anos de idade, ele era considerado um inventor frustrado e nutria algumas atitudes anticapitalistas e trabalhava como vendedor de tampinha de garrafas.

A idéia de criar as lâminas de barbear nasceu de um conselho do seu chefe de fábrica. Disse o chefe da fábrica a ele: invente algo que as pessoas usem e joguem fora para que voltem a comprem novamente.

Um dia enquanto se barbeava com uma navalhar tão velha e gasta que não era possível se quer ser afiada novamente, surgiu a idéia. Depois de alguns anos de testes, nasceu o aparelho de barbear.

Em 1903, primeiro ano de venda do produto, conseguiu vender apenas 51 barbeadores e 168 lâminas. Porém o trabalho de marketing de King nas duas décadas seguintes foi determinante para o sucesso do produto. King Gillette procurou todos os meios de marketing disponível na época e uma delas foi mandar imprimir o próprio rosto na embalagem, a partir de então se tornou uma lenda, afinal passou a ser considerado por algumas pessoas como uma personagem fictícia.

Passou a vender o aparelho a preço baixo para que as pessoas pudessem distribuir o produto como brinde. Assim, o aparelho de barbear passou a ser brinde de tudo quanto é tipo de produtos dos mais variados possíveis.

A estratégia era vender o aparelho para o maior número de pessoas possíveis para depois vender as lâminas. Não precisamos nem falar se deu certo ou não a estratégia. Tanto que até hoje o maior concorrente da Gillette é a própria Gillette, pois antes que um produto seu entre em desuso ela sistematicamente lança um novo produto para concorrer com o produto antigo.

Ao ler o nome de King Gillette no artigo, minha primeira pergunta foi: O que este cara tem haver com este assunto? Negócios Grátis?

Ele foi um dos pioneiros na iniciativa de distribuição grátis, trazendo ao mercado o conceito que é possível ganhar dinheiro dando algo de graça. Hoje sua iniciativa e várias outras nuances deste mesmo princípio são exploradas no mundo virtual.

Existem vários termos que discutem o princípio da gratuidade: Freemium, Publicidade, Subsídios cruzados, Custo marginal zero, trocas e doações. Na verdade para nós é gratis: Usuários... Alguém paga.

Você esta lendo este Blog, tem Gmail, Orkut, Facebook e vários outros recursos que são utilizados na internet que tem por base o princípio da gratuidade.

Um comentário: