quinta-feira, 1 de abril de 2010

Ou Pedra Ou Bala

Eu me lembro quando criança, íamos em turma pedir balas (guloseimas) aos comerciantes do bairro ou melhor da vila, pois naquela época eu morava no subúrbio em Guaianazes na Vila Nancy.

Era muito legal, apesar de agressivo. O bordão que gritávamos era 'OU PEDRA OU BALA'. O comerciante não tinha alternativa... Ou pedra... Ou bala... Era isso mesmo.

Se não nos desse balas, atirávamos pedra. Isso gerava cada confusão. Ainda mais no subúrbio onde naquela época era terra sem lei. Se bem que acredito não ter mudado muito a violência no lugar.

A brincadeira começava na sexta-feira santa.

Pegávamos sapatos e roupas velhas de nossos pais, produzíamos um boneco ao qual dávamos o nome de Judas. Isto mesmo!! Judas era o nome dele e representava o Iscariotes, aquele quem traiu a Jesus. Amarra o Judas no poste e lá ficava ate o dia seguinte... O sábado de Aleluia.

A meninada acordava cedo, cheio de sentimentos de tristeza, por ter assistido a paixão de Cristo no dia anterior. Se armavam de pedaços de paus e cabos de vassouras, E... Desciam o cacete no Judas. Era só pedaços de Judas voando para todo lado. Alguns se exaltavam e ateavam fogo no boneco, gritam QUEIMA NO FOGO DO INFERNO SEU TRAIDOR. Era engraçado e violento. Sobravam algumas pauladas de um colega no outro.

Ah... Detalhe tinha um Judas em cada poste e uma turma para cada Judas. Quando uma turma acabava de malhar um Judas ia logo procurando outro. Quando chegavam ao ultimo Judas, a turma estava grande... Coitado do ultimo Judas. Era de dar dô... Tamanha quantidade de pauladas que levava.

A turma aquecida e toda concentrada... Então começava o famoso PEDRA OU BALA.

Aqui entram as questões para fazer você cristão (e não-cristão, mas que se interessa pelo assunto) a pensar:
O que a garota fazia (ou ainda faz. Não sei.) ao Judas esta religiosamente correto ? E politicamente ?

Sem querer ofender a crença de ninguém, JESUS CRISTO e só AMOR, violência não cabe nas coisas que vem de DEUS.

Feliz Páscoa!


Nenhum comentário:

Postar um comentário