sexta-feira, 26 de março de 2010

E se existisse mesmo o Teletransporte!

Eu estava na hora do almoço no refeitório da empresa. E como sempre neste local e na hora do almoço, quando não reclamamos da distância de nossas casas, reclamamos da comida.

Em um dia no mês de Março de 2010, estava na mesa comigo... meu amigo purtuguês Ramiro Diz, diga-se não apenas de passagem, gente boa e muito polêmico as vezes. Também estava conosco: Victor Rocha, Garoto novo muito inteligente e sempre atento e atencioso ao que falamos. Pra falar a verdade, eu diria que ele é sábio. Ele observa bem a conversa e os erros dos outros e me parece que fica atendo as coisas que ele mesmo faz. Eu digo que ele é sábio, porque a maioria das definições de sábio seja: Sábio é aquele que aprende com os erros dos outros. E no caso eu acredito que ele faça isso. E somando a nós estava o meu amigo, vizinho de bairro e colega de ex-time... Henrique Oliveira.

Não sei exatamente como o assunto começou e tenho certeza que se eles lerem isso vai fazer os comentários deste texto, o que será na verdade muito bem vindo.

Começamos a falar sobre tecnologias que não foram desenvolvidas ainda e uma delas foi o famoso: Teletransporte. Dos filmes de ficção, como Jornada nas estrela e outros. Inclusive um em que o teletransporte ocasiona um problema durante o teste, onde uma mosca entra na camara de teletransporte junto com o cientista e ocorre um fusão celular, onde o homem entra em um processo de transformação de homem para mosca e a mosca de mosca para homem... bem o nome do filme: A Mosca. Este filme foi feito em 1986. O nome original em inglês "The Fly" do diretor David Cronenberg.

Como trabalhamos com suporte a um software de gerenciamento de servidores, começamos a pensar na facilidade e nas dificuldades que o teletransporte poderia trazer a nossa vida.

Comentei: - Já pensou? Poderiamos comer em qualquer lugar... Em casa.

O dialogo foi bem interessante, foi quando falei que iria escrever sobre o assunto.
Começamos imaginar sobre os problemas que poderiam acontecer na operacionalização do teletransporte. Certamente que da mesma maneira que hoje temos empresas de telecomunicações e serviços de internet, este serviço seria oferecido pelas empresas de telefonia, tv a cabo ou mesmo por empresas de fornecimento de energia elétrica.

Temos aparelhos de telefone, caixa de distribuição de sinal de tv, celulares... Então teriamos dentro de nossas casas a câmara de teletransporte. Assim como os sinais os fios de eletricidade, de telefonia, sinal de tv nos leva para qualquer lugar, por estar tudo conectado, assim seria a interligação da camara de teletransporte.

Não poderia ser um feixe de luz, caso contrário teletransportaria todos as coisas onde a luz chegasse, por outro lado, considerando que podemos desenvolver um software inteligente capaz de fazer a identificação das moleculas e fazer o endereçamento das moléculas antes de iniciar o teletransporte, imaginando como isso funcionaria em um processo básico e como funcionaria sendo operacionalizado como qualquer empresa de serviços.

Numa manhã você enviaria seu filho para a escola através do novo teletransporte, um serviço que você adquiriu no pacote de serviços e quando liga para falar com seu filho, não consegue, o telefone esta fora de área. Então decide ligar na escola e pergunta se seu filho chegou na no modulo central teletransportador da escola. E a resposta é: Não.

A esta altura o desespero começa a bater em você e você precisa saber o que aconteceu. Olha no manual que esta ao lado da camara de teletransporte e liga para o 0800. Pega o telefone desesperadamente e liga para o 0800. A ligação cai no Call-center e quando isso acontece... A ligação pode cair em lugar do mundo e para sua felicidade sua ligação cai exatamente na Índia.

Imagina você tentando explicar para o Indiano em inglês, o que aconteceu com a operação do teletransporte. Com muito esforço consegue explicar e então o indiano começa a fazer a pesquisa do que aconteceu:
- Senhor, Seu filho esta em loop na rede de teletransporte, estamos trabalhando para localizar as moleculas de identificação utilizado no processo de teletransporte. Por favor, aguarde um instante.
Musica de fundo...
- Alô, Alô....
- Senhor, por favor aguarde mais um instante.
Musica de fundo... continua.
- Senhor, conseguimos localizar uma parte do fragmento. Estamos fazendo o restore do processo de partida e isso tomar um pouco de tempo. O senhor quer aguardar?
E você desesperado responde:
- P... Claro!!!
Musica de fundo... 4 horas de pois.
- Senhor seu filho foi recuperado no portal de teletransporte da China, estamos iniciando o processo de teletransporte para a sua residência. Ponto de partida do processo antes do problema.
- Sim, por favor, vamos logo com isso... Pelo Amor de DEUS!
De repente um clarão... e parace um chineses no teletransporte.
- Papaiiii! O que aconteceu!
Ouvisse um grande barulho...
- Papai, Papai.... O que será que aconteceu?!!

Como um operadora de teletransporte explicaria este fato?
Bom... Analise de Causa Raiz... RCA.
Agora pare um pouco e pense nos problemas que viram com essa tecnologia em uso.

2 comentários:

  1. Adalba, sensacional!! rss

    Essa conversa de teletransporte tem que ser guardada e lida daqui uns 20 ou 30 anos e daremos muitas risadas, as mesmas que alguém de 30 anos atrás daria das idéias mirabolantes da época e que hoje já consideramos algo simples e usual.

    De qualquer forma espero que daqui a 30 anos não seja necessário ligarmos para um Help desk na India, pois isso significaria que o Teletransporte ainda não foi possível de ser criado.

    Abraços

    Bruno Patrussi

    ResponderExcluir
  2. Parabéns Adalba. Muito bem escrito. Show de bola !!!

    ResponderExcluir